Início Editorial Editorial (Setembro.2016)

Editorial (Setembro.2016)

Por
44
0

AmorMais uma forma de alfabetização

O Dia Mundial da Alfabetização comemora-se a 8 de setembro, mas o que é a alfabetização?

Tradicionalmente diz-se que uma pessoa é analfabeta se não souber ler, escrever ou contar, mas a alfabetização é muito mais do que isto. A alfabetização de um ponto de vista funcional pressupõe a aquisição de técnicas e competências necessárias para comunicar e trabalhar na sociedade, ou seja um desenvolvimento integrado do indivíduo. Não basta saber ler, escrever e contar, é necessário saber como e de que forma usar o que se sabe. Parece estranho, mas basta pensar que ao ler um manual de instruções podemos ler uma palavra sem conhecer o seu significado e percebemos de imediato que nos é difícil cumprir a indicação.

Como educadora social e quase mestre em educação e formação de adultos e intervenção comunitária, a temática da alfabetização tem sido algo que nos últimos tempos me tem despertado particular interesse. O nosso jornal Amormais, na minha opinião, contribui em muito para a alfabetização da nossa comunidade. É através do jornal que podemos ficar a conhecer alguns conceitos e temas de que até então apenas o nome conhecíamos e as vezes até esse nome nos é estranho.

Quando fui convidada para integrar esta equipa de imediato me veio à memória o facto de que muitas pessoas da nossa freguesia terem grandes dificuldades em assimilar o que lhes queremos transmitir, devido às suas dificuldades de leitura. A verdade, é que poderão ver as imagens e se as mesmas lhes chamarem à atenção, por perto haverá uma vizinha para ler aquele título e um vizinho a comentar o conteúdo, e “voilá” temos a alfabetização a acontecer.

Agora, se me permitem deixo-vos com mais um conceito, o de educador social. O educador social é um profissional habilitado a desempenhar diversas funções em instituições e organizações, nomeadamente funções de acompanhamento social, análise de contextos sociais e educativos, gestão e coordenação de instituições, mobilização de recursos socioeducativos e redes sociais, entre outras. Pode trabalhar em múltiplos contextos educativos, sociais e culturais, como por exemplo, escolas, lares, bibliotecas, museus, hospitais, autarquias e associações e com todas as faixas etárias, crianças, jovens, adultos e idosos. O trabalho deste profissional pode ser desenvolvido em contextos educativos formais e não formais.

Tendo em conta as constantes transformações sociais, culturais e económicas do Mundo, o educador social tem a função de estimular a participação social dos indivíduos, sendo a alfabetização parte vital desta interacção.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here