Início Cultura Novembro no Texas

Novembro no Texas

Por
9
0

A entrada para esta duradoura e longa jornada de concertos no Texas Bar teve início na primeira 6ªfeira de novembro, contando com duas bandas, uma portuguesa e outra inglesa.

Curiosamente, a dupla portuguesa, Me and My Brain atuaram na sua cidade de residência. Diante de pouco mais de 40 pessoas os seus beats contagiaram o público através da mistura de sons vindos dos teclados. À conversa com a dupla foi feita uma análise positiva ao concerto, cuja duração foi de 30 minutos. The Telescopes, vindos diretamente de Inglaterra, com uma carreira de 30 anos, vieram para afirmar o puro Noise, Space e Psicadélico Rock que deles deriva. Com um público mais constituído, a sua atitude marcada e os instrumentos de cordas foram o elemento dominante deste concerto. Stephen Lawrie, vocalista da banda, afirma ter gostado de atuar no Texas Bar e que esta teria sido a sua terceira passagem pelo país.
A vaga de concertos continua e no dia 10 de novembro o Texas Bar recebeu duas bandas nacionais: Them Flying Monkeys (Sintra) e Flying Cages (Coimbra). O Rock Alternativo e Psicadélico dos Them Flying Monkeys cativaram a plateia. Foram bastante comunicativos com o público, nesta sua segunda passagem pelo Texas. Os Flying Cages, fiéis ao Indie Rock, fizeram um ótimo concerto, mantendo a ligação ao público.
No dia seguinte “atracou” no Texas Bar a VII Embarcação do Capitão. Contou com a presença de um grupo de tatuadores da Just Tattoos de Leiria, instalando-se no Camarote, onde realizaram aquilo que de melhor sabem fazer, tatuar. Enquanto os tatuadores faziam o seu trabalho, Rat on the Roof fixou os olhares do público com a sua harmoniosa e fantástica forma de fazer música, através de uma simples guitarra. Seguiu-se Brenna, vinda da Austrália, acompanhada por uma guitarra e portadora de uma voz poderosíssima, deu um brilhante concerto, misturando-se o Folk e música tradicional onde retrata histórias que nunca ouvimos antes. Os concertos no palco principal iniciam-se com os Cows Caos, onde o Rock n’Roll Tropical se uniu com os estilos de Salsa, Jazz e Cumbia à batida frenética do Surf Rock. A vocalista faz uma performance sensual, energética e excêntrica, dançando ao som da música. O contacto visual da vocalista com o público intimidava-o e ao mesmo tempo cativava-o a todo aquele espetáculo que se resumiu a uma dose extrema de energia. A banda mais esperada da noite, Stone Dead, assumiu o Rock que lhes corre nas veias. O público entoava grandes êxitos como “Moonchild” e “Blooze”, temas do seu disco “Good Boys”, editado este ano.
A sua derradeira atitude em palco levou o público a aderir ao “mosh pit”, marcando mais
um grande concerto no Texas Bar, contando com cerca de 250 pessoas.
Domingo, dia 19 de novembro decorreu com dois concertos. Atuou a banda Te Miami Flu, naturais do Porto, adeptos do Rock Psicadélico e de grandes e poderosos riffs de guitarra, fizeram um ótimo concerto. Fai Baba, vindos diretamente da Suiça, trouxeram consigo o Rock Psicadélico e Alternativo que deles deriva.
A voz tranquilizadora do vocalista deixou o público prendido ao concerto. Apresentaram um novo single ao público presente, que contava com mais de 40 pessoas.
Os concertos continuaram nas próximas semanas!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here