Início Autárquicas 2021 AUTÁRQUICAS 2021 | E os vizinhos? Marrazes e Barosa

AUTÁRQUICAS 2021 | E os vizinhos? Marrazes e Barosa

Por
79
0

Como o único órgão de comunicação na Freguesia de Amor, é nossa obrigação acompanhar o processo autárquico que se encontra a decorrer. Sabemos, no entanto, que não vivemos sozinhos, e existem vários projetos e ideias que para avançarem precisarem do entendimento entre duas ou mais freguesias. Estes projetos vão muito para lá de meras melhorias nas acessibilidades, embora esses sejam sem dúvida os mais prementes.
Aproveitamos a ocasião, e fomos tentar perguntar a todos os candidatos de todas as freguesias com as quais Amor faz fronteira algumas questões sobre projetos transfronteiriços.
Hoje, vamos conhecer as respostas dos candidatos à União de Freguesias de Marrazes e Barosa.

1. Considera viável e uma prioridade a construção de uma estrada que ligue os Barreiros à Barosa diretamente?
2. Seria favorável à criação de uma nova via de acesso à Freguesia de Amor, que unisse diretamente os Barreiros à rotunda do Aeródromo?
3. Como considera a possibilidade de ser criado um percurso pedestre em torno das lendas de D. Dinis, que começasse nos Paços de Monte Real, atravessasse Amor e a Barosa e acabasse no Castelo de Leiria?
4. Que outros projetos transfronteiriços com a Freguesia de Amor gostaria de ver realizados?

[A apresentação dos candidatos segue a ordem alfabética do seu primeiro nome]


António Luís Santos, candidato pela Coligação Democrática Unitária (CDU)

1. É viável, mas só deve passar a ser prioridade no quadro do ordenamento da zona industrial da Barosa. Defendemos a elaboração de um plano de pormenor para essa zona, o qual deve prever as acessibilidades a construir.
2. Do nosso ponto de vista, há nos próximos anos outras prioridades para o investimento municipal. Não podemos esquecer que seria um investimento de muitos milhões de euros.
3. É uma ideia interessante que se enquadra na perfeição nas nossas propostas de uma rede municipal (e intermunicipal) de percursos pedestres e de ciclovias, nomeadamente o percurso da nascente à Foz do Lis.
4. Gostaríamos de ver despoluída a bacia do Lis e um ainda maior desenvolvimento da agricultura no Vale do Lis. Para isso é preciso o empenho dos órgãos da freguesia de Amor e da UF de Marrazes e Barosa; [Gostaríamos de ver] uma ligação segura para peões e bicicletas entre o Porto Figueira (Gândara dos Olivais) e os Barreiros; [e] Um percurso pedonal seguro e com sinalização específica entre a Barosa e os Barreiros; [Gostaríamos de ver um] projeto de defesa da biodiversidade no Vale do Lis.

Página da candidatura


Frederico Moura, candidato pelo Bloco de Esquerda

1. e 2. Entendemos que deve existir um conjunto de políticas tendentes a melhorar a mobilidade e a coesão territorial entre todos os espaços do concelho, nomeadamente entre freguesias. Isto é algo que também faz todo o sentido na relação que se estabelece entre a UF Marrazes e Barosa e Amor.
Não rejeitamos obras de requalificação ou de reparação em estradas cuja condição assim o exija. É, aliás, importante que as localidades e freguesias estejam dotadas de estradas e acessos em boas condições! Também isso é fundamental para a coesão territorial.
 A construção de uma nova estrada, no entanto, (seja ela onde for) tem consequências inevitáveis do ponto de vista ambiental que devem ser tomadas em conta. Se nalguns casos fará sentido, noutros nem tanto. Nomeadamente quando já existam estradas que possam ser utilizadas (ainda que seja necessário proceder a obras de reparação ou melhoramento).
Entendemos que o objetivo da coesão territorial não é atingido apenas com a construção de novas estradas e a nossa visão para o concelho e para as freguesias envolve priorizar o reforço da rede de transportes públicos de modo que seja mais acessível, eficiente e sustentável, para que não assistamos à ostracização de nenhuma freguesia ou localidade.
Urge repensar horários e o investimento em frotas mais confortáveis movidas com energias mais limpas e amigas do ambiente. O investimento em autocarros elétricos é essencial.
Acreditamos ser essa a melhor maneira de satisfazer o interesse público em questão. Lutamos para que nenhuma freguesia fique esquecida.
3. A nossa candidatura não fechará nunca as portas a projetos culturais, didáticos ou de mobilidade que tenham verdadeira substância. Rejeitamos obras meramente cosméticas que não se consubstanciam numa efetiva melhoria da qualidade de vida dos cidadãos. Estamos, sim, prontos para ouvir as necessidades e reivindicações dos leirienses e debater qualquer projeto sério em sede própria. Nunca nos furtaremos ao debate público.
4. Gostaria de ver as duas Freguesias com facilidade de ligação.
Teria bastante gosto, assim como toda a candidatura do Bloco de Esquerda, em ver as freguesias do concelho coesas, à mesma velocidade, ao mesmo passo. A questão da mobilidade é absolutamente fundamental para esta questão: não deixar nenhuma freguesia para trás, acessos de qualidade, repensar os horários dos transportes coletivos e a frota de autocarros (como, aliás já mencionamos) é um assunto que encaramos com a maior seriedade.
Também a questão ambiental, nomeadamente do Rio Lis e Lena, é um assunto que nos é caro e é um problema com décadas. Entendemos que a rede hidrográfica do Lis deve ser protegida. Tem um papel fundamental na preservação de espécies e na valorização dos campos do Lis. Um projeto que evidenciasse esse elo de ligação entre as freguesias e que servisse como espaço de lazer teria o nosso apoio.
Para além disto, apresentamo-nos a estas eleições com o compromisso de ouvir os nossos cidadãos e os nossos fregueses. Fazer política sem atender às necessidades e reivindicações da população que representamos não faz sentido, e esse é um dos pilares da candidatura. Desta forma pretendemos construir um projeto agregador. Estaremos sempre disponíveis para ouvir os nossos fregueses e nunca fecharemos as portas a projetos de cooperação transfronteiriços com outras freguesias vizinhas.

Página da candidatura


Miguel Baltazar, candidato pela coligação “Leiria Pode Mais” (CDS-PP.MPT)

1. Não considero a maior prioridade, seria um caso de estudo caso se venha a elaborar um plano integrado de defesa do património e para socorro das populações, seus bens e ambiente.
2. Sim caso seja feito algum aproveitamento das vias já existentes. 
3. Sim e farei o que estiver ao meu alcance para ajudar nesse sentido.
4. Uma via de prática desportiva, com pequenas zonas de lazer, desporto e parques caninos que prolonga se a via POLIS até a Foz do rio Liz, ou em alternativa que fosse até à única Praia do concelho de Leiria.
Um projeto integrado de apoio ao socorro nas zonas fronteiriças onde devem ser revistos acessos e planos de intervenção em terrenos agrícolas, habitações e seus habitantes.

Página da candidatura


Paulo Clemente, candidato pelo Partido Socialista

1. Todas as infraestruturas que digam respeito a ligações entre várias autarquias devem ter como princípio base o diálogo entre as visadas. Estamos abertos à existência desse diálogo no próximo mandato, se os fregueses depositarem em nós essa confiança.
2. Novamente, a decisão sobre infraestruturas que ligam várias freguesias deverão sempre ser consideradas em diálogo com os vários intervenientes, ao nível das juntas, mas também ao nível camarário.
3. Esta candidatura valoriza muitíssimo o património cultural e ambiental da União das Freguesias de Marrazes e Barosa e do concelho de Leiria. Todas as iniciativas que poderão contribuir para essa valorização, na linha do que está previsto no nosso programa eleitoral, são bem-vindas.
4. Estamos abertos ao diálogo para a realização de projetos entre freguesias que valorizem as populações e contribuam para o seu bem-estar.

Página da candidatura


O Jornal AmorMais não conseguiu em tempo útil obter resposta dos candidatos que lideram as listas do Chega e do Partido Social-Democrata.


Tudo sobre as Autárquicas 2021 em: autarquicas2021.amormais.pt

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here