Início Paróquia Ultreia diocesiana em Amor

Ultreia diocesiana em Amor

Por
40
0
Ultreia diocesiana com a presença do Padre Isidro Alberto e do Bispo .D. Francisco Marto (Foto: Levi Redondo Bolacha)

Decorreu na tarde do dia 29 de janeiro, a Ultreia Diocesana anual do Movimento dos Cursilhos de Cristandade, que reuniu na Igreja Paroquial de Amor cerca de 300 cursilhistas oriundos das diferentes paróquias da diocese, e que contou com a presença de Sua Excelência Reverendíssima o Sr. Bispo D. António Marto.

Iniciando-se com a celebração da Eucaristia pelas 15 h, registou-se da homilia de D. António Marto a mensagem de que «não há felicidade cristã sem conversão de coração», lembrando que «hoje vivemos numa sociedade agressiva mesmo dentro das famílias, nas palavras e nos gestos», chamando a atenção para a importante mensagem das Bem Aventuranças que são o retrato de Jesus Cristo.

De salientar que a celebração foi com muito mérito animada pelo Grupo Coral de S. Paulo da Paróquia de Amor, sob a direção de David Sousa acompanhado pelo brilhante desempenho do organista Sérgio Varalonga.

Passando-se à Ultreia propiamente dita e centralizada no tema “Ser Cursilhista Hoje”, tema desenvolvido por um cursilhista de Monte Real, que reconhece que é difícil falar de cristandade fora da Igreja, por isso a importância do cursilho que direciona o 4º dia para a evangelização no mundo, nos ambientes descristianizados ou afastados da Deus. Também essa dificuldade é sentida pelo movimento, que ainda assim acredita ser uma grande esperança para a Igreja.

Depois de ouvidos alguns testemunhos de cursilhistas de diferentes paróquias da diocese, coube ao Sr. Bispo, D. António Marto, que, rendido a tudo o que se vivia naquele momento, fez jus ao que tinha referido na sua homilia «há realidades da vida que só se veem bem com os olhos limpos pelas lágrimas», e sob profunda emoção começou por dizer «sinto-me pequeno», momento alto desta ultreia, que a todos tocou e emocionou, e que motivou forte aplauso.

Seguiu acrescentando «Vós sois verdadeira santidade viva que sustenta a Igreja», lembrando que o primeiro campo de missão é o mundo, onde é necessário combater a maior doença que é o vazio da vida.

Numa intervenção que motivou e entusiasmou todos os presentes, adiantou «saio estimulado pelo vosso testemunho» e terminou referindo que «é preciso continuar a caminhar em frente, junto dos ambientes» lembrando a palavra Ultreia = Ir mais além.

Seguiu-se o convívio sempre do agrado de todos, onde a amizade, a partilha, a cumplicidade de quem vive e sente Cristo, se fazem sentir.

De salientar o empenhamento e colaboração do Centro de Ultreia de Amor e todos os que colaboraram para que o acolhimento fosse o melhor, e este dia ficasse marcado na memória de todos os que estiveram presentes.

Texto por Domingos Santos.

Partilhar
Artigo anteriorAlgas vermelhas invadem vala
Próximo artigoEdição 14 (Fev.2017)
Escrito por:

AmorMais

O AmorMais é o mensário da freguesia de Amor. Criado no âmbito da Associação de Desenvolvimento Amormais, este projecto, sem fins lucrativos, congrega as sinergias da Freguesia através da sua rede de colaboradores, contribuindo para o seu dinamismo e comunicação. | Mais sobre o autor...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here