Início Gente de Cá Agostinho Santos. Uma juventude de sucesso

Agostinho Santos. Uma juventude de sucesso

Por
300
0

Agostinho Manuel Pereira dos Santos, 44 anos, residente no Casal Novo

A juventude de Agostinho foi marcada pelo grande sucesso no mundo de futebol. Apesar disso nunca colocou de lado as suas raízes e, quando a sua família e empresa mais precisou, não virou costas, mantendo sempre a sua profissão até aos dias de hoje.

Que tipo de futebol jogava?

Comecei por praticar futebol 11 e depois, mais tarde, acabei por experimentar e jogar futsal.

Com que idade começou a jogar?

Comecei como muitos miúdos naquela época: pelas ruas perto de minha casa. Fui dando os primeiros toques na bola em conjunto com amigos meus. O gosto e o jeito pelo futebol foram crescendo e um dia, quando tinha 11 anos, o Professor Carlos Carles convidou-me para representar os iniciados do Marinhense. Naquela primeira época fomos logo campeões distritais e eu o melhor marcador da equipa.

Qual era a sua posição em campo?

Desde cedo percebi que a minha posição em campo seria a de ponta de lança e isso ficou demonstrado, pois por várias ocasiões fui o melhor marcador das equipas por onde passei.

Sabemos que defrontou vários jogadores, que viriam a ter um enorme sucesso a nível nacional e internacional. Quais foram esses jogadores e em que escalões?

Nos juvenis joguei no campeonato nacional e acabei por defrontar as equipas do Benfica e do Sporting, onde joguei contra nomes como Rui Costa, Luís Figo, Peixe, entre outros jogadores de viriam a ter um enorme sucesso nas suas carreiras.

Ao lado de uma Taça de Campeão
Ao lado de uma Taça de Campeão

Quais foram os clubes que representou? Foi chamado à selecção nacional?

Foram enumeras as equipas que representei ao longo da minha carreira. No futebol ao todo foram sete: Marinhense, GD Casal Novo, Sport Lisboa e Marinha (durante cinco épocas), Porto de Mós, Bidoeirense, Alcobaça e Os Vidreiros. Aos meus 18 anos fui ainda chamado à Selecção Nacional de sub-21 para participar num torneio de inter-associações. Mais tarde acabei por participar também em torneios organizados por clubes, em que se convidavam empresas para formarem equipas e assim competirem entre elas. Nestes torneios representei a Masiga, o Café Lino, o Vitinho, entre outras. Por fim, pratiquei ainda a modalidade de futsal, representado a equipa do GD Casal Novo.

Quais foram os títulos colectivos e individuais que conquistou?

Colectivamente fui três vezes campeão distrital da Divisão de Honra e conquistei numa ocasião a Taça Distrital. Relativamente ao palmarés individual, acabei por ser sempre o melhor marcador nos clubes que representei.

Podias ter sido profissional, mas acabaste por deixar cedo o futebol…

Durante toda a minha carreira fui sempre jogador semi-profissional, apesar de ter tido convites para tentar ser jogador profissional. No entanto acabei sempre por recusar pois naqueles tempos, já tinha grandes responsabilidades na empresa Masiga e achava que, como profissional de futebol, poderia apenas aguentar-me uma ou duas épocas. Com o passar dos anos, fui tendo algumas lesões graves nos abdominais e no joelho direito, sendo mesmo aconselhado pelos médios a terminar a minha carreira, o que víria a acontecer no ano de 2004.

O seu nome fez vários títulos em jornais da época

O seu nome fez vários títulos em jornais da época

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here